sábado, 23 de fevereiro de 2008

"Hamburgo Bar" na Fábrica Braço de Prata



"Hamburgo Bar existia em Lisboa, no Cais de Sodré desde 1970. Esta zona sempre foi considerada pouco recomendada a visitantes; porém, é uma zona de estrangeiros por excelência. Os bares têm nomes de cidades e países estrangeiros: Dublin, Tokio, Jamaica, Irish, Copenhagen, Liverpool, Hamburgo, Acrópole e por aí fora. Estes bares eram autênticas embaixadas dos países, aí falava-se a língua de origem (às vezes nem o português era falado) e serviam aos clientes as comidas e bebidas típicas de cada lugar. Eram locais de encontro de marinheiros e camionistas compatriotas.O Hamburgo Bar ainda era assim. Siegi, o dono, recebia clientes de todo o mundo e tinha uma selecção de música de todos os países.O ambiente era resultado de um processo cumulativo de deposição de objectos, mensagens, músicas e histórias deixados pelos próprios clientes. Tornou-se uma espécie de santuário secreto e quem o conhecia não o esquece. A entrada no Bar tinha o efeito de uma viagem no espaço e no tempo, tudo parecia parar.Depois de dois anos de estudo sobre o local, Rodrigo Bettencourt da Câmara reuniu algumas séries fotográficas e um pequeno vídeo. O seu interesse de por este bar é o de sentir a forma como o tempo passa por uma cidade a velocidades diferentes; tratava-se de um lugar de resistência ao tempo. De um lugar que já não parece ser do nosso tempo, onde as mensagens se sobrepunham, se escrevinhavam e amontoavam, ficando guardadas como cartas, registos de presença."

Nova selecção de fotografias do projecto "Hamburgo Bar".